DIU pelo SUS: Como colocar o seu? Veja aqui o passo a passo completo!

Muitos serviços de qualidade são oferecidos pelo SUS – lembrado como Sistema Único de Saúde -, do qual são realizados de forma 100% gratuita, por todo e qualquer brasileiro que precise de atendimento emergencial ou agendado.

Muitas formas de prevenir gravidez e demais doenças sexualmente transmissíveis são distribuídas pelo SUS, seja injeção anticoncepcional, camisinha e também a inserção do DIU, conhecido como um dos métodos mais seguros do mundo para mulheres que não querem engravidar.

Você tem interesse em colocar o DIU porém não sabe nem por onde começar? Veja aqui um guia completo para realizar esse passo a passo de forma completamente segura, quais são as formas e demais informações.

Como inserir o DIU pelo SUS? Entenda aqui!

Como inserir o DIU pelo SUS? Entenda aqui!

Conhecido como um dos métodos anticoncepcionais mais seguros do mundo, o dispositivo intrauterino (DIU), ele tem eficácia acima de 99%, sendo comparado a uma laqueadura. Esse tipo de dispositivo pode ser colocado de forma completamente gratuita pelo SUS, por meio das UBS – Unidades Básicas de Saúde e também nos hospitais públicos.

Mas, por onde é necessário começar? Veja abaixo o guia completo para colocar o seu o quanto antes:

1 – Encontre a UBS ou hospital público que realiza o serviço

Conhecido por ser um método que não contém hormônios, ele está disponível nas UBS e hospitais, basta procurar pelo atendimento ginecológico. O dispositivo pode ser utilizado por mulheres que estão na fase da adolescência até para aquelas que estão na menopausa.

Primeiramente, procure saber se a UBS desejada ou o hospital em questão realiza a inserção do método, basta procurar na internet ou ligar, verificando previamente e já se programando em qual delas ir.

2 – Comparecer no grupo de planejamento

Depois de encontrar a unidade mais próxima que realiza esse atendimento, é preciso ir até o local. Lá, os médicos pedem que a paciente faça o acompanhamento em um grupo de planejamento familiar.

É importante destacar que ele não é obrigatório, porém, é indicado para que a paciente tenha o conhecimento sobre todos os métodos anticoncepcionais que estão disponíveis e assim, entender se o DIU será a melhor opção.

O grupo é composto por médicos, assistentes sociais, enfermeiras e também psicólogos, prontos para ajudar e tirar demais dúvidas das pacientes.

3 – Marcar a consulta

Depois de passar pelo grupo de aconselhamento, a mulher interessada deverá ir para uma consulta com um ginecologista que esteja disponível no local. Caso não tenha interesse em participar do grupo, poderá agendar a consulta pessoalmente na UBS ou no hospital.

Existem alguns locais em que existe uma segunda opção para marcar consultas no Brasil, que é por meio do aplicativo “Agenda Fácil”, disponível especificamente na capital paulista, onde é possível fazer o agendamento da consulta de forma fácil e rápida.

Existem também demais cidades que disponibilizam esse serviço por meio de aplicativos do SUS local, basta procurar aquele correspondente à sua cidade ou município.

4 – Fazer o exame preventivo

Como inserir o DIU pelo SUS? Entenda aqui!

O médico fará uma avaliação ginecológica verificando se há condições físicas para que a paciente possa colocar o DIU, atestando se não há malformação uterina, se não há nenhum tipo de alergia ativa ao material ou demais possíveis problemas.

Caso não haja nenhuma questão a ser destacada, o médico irá pedir demais exames além da ambientação vaginal. Geralmente é feita a coleta do Papanicolau ou verificado o último exame do preventivo, caso seja recente – menos de um ano.

5 – Colocação do DIU

Depois disso, o próprio médico entrará em contato para agendar uma data para a colocação do dispositivo. É indicado que a inserção seja feita quando a paciente estiver menstruada, certificando-se assim que não está grávida.

Depois de um mês da colocação do dispositivo, é necessário que retorne até o hospital ou UBS, para fazer a verificação se o seu corpo se adaptou da forma mais correta ao DIU. O SUS tem DIU que podem ter a duração de três, cinco ou até de 10 anos.

Dessa forma, a paciente tem toda a assistência do governo para se ter certeza que o dispositivo está funcionando, demais acompanhamentos e em caso de dúvida, tem um profissional pronto para atendê-la, e o melhor de tudo, totalmente de graça!

Se você está pensando em colocar o DIU de forma gratuita pelo SUS, essa é a sua oportunidade! Não perca tempo e procure a UBS ou hospital mais perto de você para começar o procedimento.

FAQ: Perguntas e respostas rápidas

Quem tem direito ao DIU pelo SUS?

No SUS, é o DIU de cobre que está disponível, que é aquele do qual não possui hormônios.

Ele está disponível para as adolescentes e mulheres de qualquer idade que desejam prevenir a gravidez por meio da inserção do mesmo, ou seja, só basta ir até a UBS mais próxima e repetir os processos citados acima.

Quem não tem filho pode colocar o DIU pelo SUS?

A inserção do DIU pode ser feita de maneira rápida e simples na UBS ou no centro cirúrgico em qualquer idade, independente se a mulher possui filhos ou não.

É preciso apenas que a mulher já tenha tido relações sexuais.

Quanto custa para colocar o DIU particular?

Esse valor é variável de acordo com cada médico, sendo assim, fica a critério de qual profissional será escolhido.

O hormonal ou o Mirena, possui variação entre R$800 até R$900, enquanto o DIU de cobre tem seu valor entre R$100 até R$300.

Qual o DIU que o SUS disponibiliza?

O DIU do qual é fornecido diretamente pelo SUS é o de cobre, onde geralmente é colocado após o parto que é realizado na rede pública. É interessante lembrar que ele não possui interferência no processo de amamentação.

Qual melhor DIU para quem não tem filho?

Os dois são indicados para mulheres que não possuem filhos.

É possível retirar o DIU sozinha?

O DIU pode ser retirado até mesmo 1 dia após sua inserção, porém, ele deve ser retirado por um profissional ou ginecologista, visto que deve ser feita uma análise sobre o método e quais as razões para sua retirada.

Quanto tempo dura o DIU?

O DIU de prata e o DIU de cobre duram o tempo de 10 anos, enquanto o DIU Mirena possui seu tempo de ação de 5 anos.

Qual o tipo de DIU não menstrua?

Enquanto o DIU de cobre pode aumentar o fluxo de menstruação – causando até mesmo uma piora na cólica menstrual, o DIU hormonal, que é Mirena, para a menstruação.

Marcela Mazetto

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content