Privatização do SUS: quais são as consequências? Veja aqui!

Muito se escuta sobre algumas empresas sendo privatizadas, como por exemplo os Correios, do qual já se existe essa discussão a muito tempo. Muitas pessoas são contra esse processo, visto que suas consequências podem abalar de forma grande a economia.

Uma discussão que ocorre há algum tempo é sobre a privatização do SUS, visto que gera muita repercussão e é alvo de problema para muitas pessoas.

Veja aqui porque isso não vai acontecer e quais seriam as principais consequências.

Privatização do SUS: porque não poderá acontecer

Privatização do SUS: porque não poderá acontecer

Lançado nesta última terça-feira (27), o presidente Jair Bolsonaro emitiu o decreto 10.530, do qual dá início aos primeiros passos para a privatização do SUS – Sistema Único de Saúde -, assim, as operadoras de saúde norte-americanas têm interesse específico em nosso sistema de saúde.

Essa iniciativa deu o que falar, com negatividade pelo presidente do Conselho Nacional de Saúde, Fernando Pigatto, que chamou a situação de “arbitrariedade”, com a intenção clara do governo federal de privatizar as UBS – Unidades Básicas de Saúde -, de todo o país.

O decreto presidencial foi assinado ontem, mas já estava em vigor, do qual instituiu a Estratégia Federal de Desenvolvimento para o Brasil para o período entre 2020 até 2031, sendo desenvolvido na visão neoliberal e privatista que prevalece no Governo Bolsonaro.

Esse decreto vem com diretrizes econômicas, institucionais de infraestrutura, ambiental e também sociais, das quais possuem eixos específicos sobre a saúde. Entre a maioria deles, há a intenção de aprimorar a gestão do SUS, com mais articulação do sistema privado de saúde, aperfeiçoando o setor, melhorando a eficiência e qualidade de acordo com a adequação e financiamento da população.

Depois de saber sobre a significância do decreto, o Conselho Nacional de Saúde disse que não irá aceitar a arbitrariedade do presidente da República, que tem a intenção de privatizar as unidades básicas de saúde do Brasil. Foi dito que será feito uma avaliação mais profunda e assim, medidas cabíveis serão tomadas em um momento em que o SUS precisa ser fortalecido. O Conselho já declarou ser contra qualquer tentativa de privatização, da retirada dos direitos e também da fragilização do SUS.

A notícia não divulgada

SUS

A notícia sobre a possível privatização do SUS foi escondida em muitos jornais, sendo assim, uma abertura da privatização não só do próprio SUS, mas também de demais órgãos públicos.

Vale a pena lembrar que nem mesmo o país mais rico do mundo, que é os Estados Unidos da América, não possui uma saúde pública, sendo que cerca de 46 milhões de norte-americanos não possuem nenhum tipo de cobertura de saúde.

Outra maneira que poderá ocasionar na privatização do SUS é o corte de verbas, onde o Brasil gasta o total de 3% do seu PIB com saúde pública, sendo a metade do que é recomendado pela OMS – Organização Mundial de Saúde -, visto que em alguns estados, como é o caso do Rio Grande do Sul, há apenas quatro das verbas mínimas destinadas para a saúde.

Dessa forma, cada vez mais o SUS vai ficando mais desigual em seu atendimento. Vale a pena lembrar que quando é investido a devida atenção ao SUS, conforme ele merece, temos a melhor assistência de remédios e de procedimentos para AIDS do mundo, lembrada pelo seu tratamento completamente gratuito para qualquer pessoa, isso sem falar no processo de transplante de órgãos, de vacinação e distribuição de medicamentos de forma 100% gratuita, sendo que em sua maioria, muitos dos remédios são reconhecidos por terem valores de alto custo.

Com esse cenário de “terra arrasada”, é garantia de que muitas empresas vão tentar se apropriar e assim, fazer a venda posterior. Com as amarras instituídas dos gastos públicos, novos investimentos em hospitais só podem acontecer caso parem com a construção de novas UBS, diminuírem o salário dos médicos, enfermeiros e demais trabalhadores do sistema público, tirando um pouco do que falta da educação ou também da educação pública.

Essa é uma das questões mais polêmicas quando o assunto é Brasil e principalmente saúde de qualidade. O SUS atende brasileiros de todos os cantos do país, tudo isso sem cobrar nenhum centavo pela assistência que é fornecida, além dos demais procedimentos ali realizados.

Fique sempre de olho em nosso site para receber demais conteúdos sobre o assunto e se manter atualizado.

Marcela Mazetto

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content