Vacina da Gripe em 2020 – Calendário, Quem deve tomar e Contraindicações

A vacina da gripe é a única forma eficaz de se proteger contra os principais tipos de vírus da gripe. Anualmente, o Ministério da Saúde, seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), realiza campanhas de vacinação a fim de imunizar a população.

Se você deseja saber um pouco mais sobre a campanha de vacinação contra a gripe neste ano de 2020, confira este guia completo que preparamos, com todas as informações a respeito deste assunto tão delicado.

Como funciona a vacina da gripe?

A gripe é caracterizada como uma doença viral, uma vez que é transmitida pelo vírus da gripe. Ela afeta especialmente o sistema respiratório (principalmente o nariz, a garganta e os brônquios). Os principais sintomas são a febre acima de 38ºC, dores pelo corpo, especialmente nas costas, nos braços e nas pernas, calafrios e suores, dor de cabeça, tosse seca, fadiga e fraqueza, congestão nasal e dor de garganta.

Esse vírus, responsável pela doença, é um vírus bastante instável, que sofre muitas mutações. Não há, portanto, uma vacina que proteja contra todos os vírus da gripe. A vacina disponibilizada nas campanhas de vacinação contém proteção contra as principais cepas (tipos) do vírus da gripe presente no Brasil. Ela é conhecida como “trivalente”, pois oferece proteção contra três cepas mais comuns.

Portanto, é imprescindível tomar a vacina todos os anos, mesmo que você já tenha sido imunizado anteriormente.

Uma pessoa pode contrair o vírus da gripe em qualquer época do ano, embora seja mais comum contraí-lo durante o período entre o começo de abril e o final de maio, época em que o vírus está mais ativo no ar. É justamente nessa época do ano que as campanhas de vacinação contra o vírus da gripe ocorrem.

A vacina da gripe é totalmente segura, pois contém apenas partes enfraquecidas ou mortas do vírus, incapazes de contaminar o indivíduo. Alguns têm a impressão de que a vacina causa o vírus porque ela é aplicada justamente em épocas de grande contaminação: ou seja, o indivíduo pode ter contraído o vírus antes mesmo de ser vacinado, atribuindo erroneamente a culpa à vacina.

Vacina da Gripe

Calendário da vacina da Gripe em 2020

Ainda não foi oficialmente definido quando acontecerá a campanha de vacinação contra a gripe neste ano de 2020. Entretanto, analisando as campanhas de anos anteriores, podemos prever que ela acontecerá entre o começo de abril e o final de maio, época em que há maior incidência do vírus no ar.

Por exemplo, a campanha de vacinação de 2019 foi de 10 de abril a 31 de maio. Espera-se, portanto, que a de 2020 ocorra neste mesmo período do ano.

Para aqueles que trabalham durante a semana e não podem ir ao posto para tomar a vacina, convém ficar atento às notícias, pois durante as campanhas contra a gripe ocorre o chamado “Dia D” de mobilização, em um sábado, no qual os postos abrem com exclusivamente para a vacinação.

Grupos Prioritários

Durante as campanhas de vacinação contra a gripe, alguns grupos têm prioridade na hora de tomá-la. Passadas as fases destinadas aos grupos prioritários, toda a população tem acesso às vacinas, embora nem todos possam tomá-la, uma vez que as doses são limitadas.

Os grupos prioritários para tomar a vacina da gripe nas campanhas de vacinação são os seguintes:

vacinação

  • Crianças entre 6 meses e 5 anos;
  • Gestantes;
  • Idosos com mais de 55 anos;
  • Portadores de doenças crônicas;
  • Puérperas (mulheres que deram à luz há menos de 45 dias);
  • Profissionais do sistema de saúde;
  • Professores;
  • Indígenas;
  • Indivíduos em sistema carcerário;
  • Funcionários do sistema prisional.

Neste ano de 2020, houve uma mudança em uma das categorias dos grupos de prioridade: agora, idosos entre 55 e 60 anos foram incluídos nos grupos prioritários. Anteriormente, apenas idosos com mais de 60 anos poderiam tomar a vacina da gripe com prioridade.

Contraindicações da vacina da gripe

Alguns indivíduos, entretanto, não podem tomar a vacina da gripe por questões específicas de saúde. São eles os seguintes:

  • Crianças com menos de 6 meses de vida;
  • Pessoas alérgicas a ovo de galinha e derivados;
  • Pessoas que já apresentaram reações contrárias a doses anteriores da vacina contra a gripe.

Onde tomar?

Os interessados na vacina têm duas opções: tomá-la na rede pública ou na rede privada.

Ao se optar pela rede pública de saúde, basta dirigir-se à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima à sua residência, durante a campanha de vacinação, com a documentação exigida (ver próximo tópico) para receber a dose da vacina contra a gripe. Convém mencionar que determinados grupos têm prioridade na hora de receber a vacina, de modo que é possível que as doses acabem antes de a campanha ser estendida ao grande público.

Para tomar a vacina na UBS próxima à sua residência, é preciso ter cadastro nela. Para realizá-lo, basta dirigir-se pessoalmente na unidade, munido da seguinte documentação: documento de identificação com foto (ou certidão de nascimento, para crianças sem documentação) e comprovante de residência recente (como conta de água, luz ou telefone).

Já pela rede privada de saúde, a imunização está geralmente disponível em qualquer época do ano, embora a procura seja mais frequente justamente entre abril e maio, a época de maior incidência da doença. Contudo, a vacina não é gratuita: na maior parte dos planos de saúde, é preciso pagar pela unidade da vacina. Os preços variam de hospital para hospital.

Documentos necessários para tomar a vacina

Na rede privada de saúde, cada hospital pode exigir determinados documentos. Geralmente, entretanto, é preciso levar a carteirinha do plano, um documento de identificação com foto (ou certidão de nascimento, no caso de crianças sem demais documentações) e a carteira de vacinação.

Na rede pública, os seguintes documentos são exigidos a todos os indivíduos, independente do grupo do qual façam parte:

cadastro no SUS

Já para os indivíduos pertencentes a determinados grupos prioritários, os seguintes documentos são exigidos, de modo a comprovar a necessidade de se tomar a vacina com prioridade:

  • Prescrição médica, especificando a razão da indicação da vacina (para pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas);
  • Certidão de nascimento do bebê, cartão-gestante ou documento do hospital em que ocorreu o parto (para puérperas);
  • Contracheque ou crachá (para profissionais como professores, agentes penitenciários e trabalhadoras da saúde).

Indivíduos cadastrados em programas de controle de doenças crônicas do SUS não precisam de prescrição médica, bastando dirigir-se aos postos em que estão cadastrados com os documentos básicos, ou seja, com o documento de identificação e a carteira de vacinação.

Quem tem direito?

Toda a população tem direito à vacina da gripe, seja pela rede pública ou particular. Entretanto, nas campanhas públicas de vacinação, nas primeiras fases da campanha apenas os indivíduos dos grupos prioritários podem tomar a vacina, uma vez que são mais propensos a contrair a doença. Ao término delas, entretanto, as doses restantes são disponibilizadas a toda a população.

Rafaela Trevisan Cortes

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

WebGo Content